O que fazer quando acontece perda total no carro que tem Air-Bag?

O que fazer quando acontece perda total no carro que tem Air-Bag?

Os carros novos vendidos no Brasil a partir de 2014, tem a obrigatoriedade de vir equipado com air-bags frontais, e freios ABS, mas, nos últimos anos a perda total nos veículos populares com air-bag tiveram um aumento expressivo.

É interessante ressaltar sobre a importância em usar a tecnologia a favor da segurança para todos os motoristas e passageiros do veículo, e não somente para aqueles que tem veículos de valores elevados, ou seja, os veículos populares também precisam ser igualmente seguros e equipados com air-bags.

Entenda como funciona o air-bag

Air-bag é um dos componentes de segurança no veículo de maior importância que já salvou milhares de vidas, e funciona como uma almofada de ar inflável a qual é acionada, assim, que o veículo sofre um impacto muito forte, como uma colisão.

O air-bag funciona através de sensores que ficam em partes estratégicas nos veículos como na parte frontal, traseiro, lateral direito, lateral esquerdo, atrás dos bancos do passageiro e motorista, e no forro interno da cabina, e com o impacto, um sinal é disparado para verificar qual sensor foi atingido, dessa forma aciona o air-bag no local exato do impacto.

O dispositivo é feito de pastilhas que contém azida de sódio com outros aditivos, e são acionados pelo computador de bordo através de uma corrente elétrica, dentro de um balão de ar muito resistente, conhecido como air-bag. Sua principal função é encher o air-bag de ar para amortecer o impacto do motorista ou dos passageiros no interior do veículo, evitando ou minimizando lesões e traumas na face, cabeça, pescoço e coluna.

A primeira impressão é que o air-bag embora impeça que motoristas, ou passageiros, se machuquem, pode provocar asfixia, visto que geralmente numa colisão forte, algum dos ocupantes pode desmaiar sob o balão inflado do air-bag, e é por isso, que o acionamento para inflar é tão rápido (~30 milésimos de segundo – um piscar de olhos) quanto também para esvaziar.

Como funciona o air-bag

Todos os veículos com air-bag funcionam a partir de uma mistura química a base de azida de sódio a qual se decompõe rapidamente sempre que aquecida a uma temperatura de 300° graus, produzindo nitrogênio gasoso e sódio metálico, por isso, é adicionado nitrato de potássio e sílica para produzir um silicato alcalino vítreo, inerte, mas, é o nitrogênio o responsável em inflar o balão.

Com toda a tecnologia encontrada cada vez mais nos novos veículos, alguns modelos têm a capacidade de determinar de maneira rápida, qual a provável intensidade do impacto, por isso, conseguem regular quanto o air-bag deve inflar.

Vale esclarecer que embora muitos modelos de veículos populares ou não, tenham air-bag, mesmo assim, não excluem a necessidade e obrigatoriedade de usar o cinto de segurança em cada um dos ocupantes do veículo, já que o air-bag impede apenas o impacto do rosto no painel, no vidro, nos bancos traseiros, ou, nas laterais reduzindo risco de lesões mais graves.

A história do air-bag teve início nos anos 70 nos Estados Unidos, mas, há informações que devido a um grave acidente, a ideia foi deixada de lado, por isso, a marca inicial ficou para a Mercedes que em 1980 lançou o Classe S com o 1º air-bag, cintos de segurança e ABS.

Seja como for, é curioso saber que uma seguradora fez um acompanhamento durante algum tempo sobre a perda total nos veículos populares com air-bag, e percebeu que a maioria dos acidentes envolvendo esses carros mais baratos estão sendo considerados PT, perda total. O problema é que depois do air-bag acionado, não existe mais reparo, assim, todo o kit precisa ser trocado, e dependendo do modelo do carro pode custar algo em torno de R$ 4 mil.

Considerando que a média de indenização paga pelas seguradoras em carros populares como Fiat Palio, VW UP!, Chevrolet Onix e Ford Ka, é na faixa de 30 mil reais, somente o kit de air-bag pode passar dos 10% do valor, embora um carro para dar PT, precisa sofrer um dano no mínimo de 75% do seu valor de tabela.

Existem certas vantagens em ter veículos populares com air-bag, como o preço do seguro mais baixo, pois, quanto mais itens de segurança o carro tem, menos se paga, sem falar que em caso de sofrer um acidente, como o valor de um air-bag novo é inviável, junto a outros danos do carro é claro, pode dar PT, mesmo assim, fique atento porque há exceções.

Sem dúvidas, os airbags são itens de segurança para o motorista e passageiros. No entanto, este deve ser utilizado como o último recurso para prevenção de lesões e traumas. Além da manutenção preventiva do veículo, do bom estado físico e psicológico do motorista – responsável pelos ocupantes do veículo – na hora de dirigir, seguindo sempre as leis de trânsito, deve-se utilizar sempre das técnicas de direção defensiva. Todos estes itens citados a cima são para prevenir, antecipar possíveis colisões no trânsito, caso eles não sejam suficientes, o cinto de segurança como o airbags são acionados, involuntário a ação do motorista e ocupantes, para a proteção dos mesmos.

Sendo assim, faça sempre a manutenção do seu veículo regularmente, siga sempre as leis de trânsito e antecipe possíveis colisões utilizando as técnicas de direção defensiva.

Quais são as multas que causam perda total na CNH de moto

Quais são as multas que causam perda total na CNH de moto

Uma “DICA DE OURO” a todos os pilotos de plantão que receiam perder a CNH, assim, que atingir 20 pontos e, por isso, controlam na unha cada pontinho ganho, sabiam que existem algumas multas que causam a perda imediata da CNH de moto, mesmo sendo apenas 1?

Pois é, certamente muita gente desconhece, o pior é que mesmo que não tenha cometido nenhuma infração no último ano, 1 única multa entre as mostradas abaixo, é suficiente para originar a perda imediata da CNH, além de ser obrigado a pagar valores absurdos que podem chegar a R$ 6 mil.

Tratam-se de infrações de natureza gravíssima que mesmo sendo únicas no prontuário do motociclista, é o estopim que pode levar a abertura de processos administrativos que podem tirar o direito de pilotar de2 a 8 meses”, e quando reincidente, 18 meses.

Na realidade, algumas dessas infrações consideradas gravíssimas, são atitudes que muitas vezes é visto com frequência nas ruas, por isso, para o piloto que está acostumado a fazer e até hoje não foi pego, é bom pensar se vale a pena continuar arriscando! Confira:

  • Ser flagrado pilotando bêbado, ou, recusar fazer o teste do bafômetro, suspensão de 12 meses, além de pagar uma multa redondamente alta de R$ 2.934,70;
  • Fazer uso da moto para interromper, restringir, perturbar, ou, impedir a circulação de outros veículos em qualquer via, suspensão de 12 meses e a multa pode custar mais que a própria moto, $ 5.869,40;

A suspensão implica que o motociclista fica proibido de pilotar durante 1 ano, e o valor da multa é aplicada conforme a gravidade apurada e, do fator multiplicador da infração.

Além disso, existem outras multas que causam a perda imediata da CNH de moto, como aquelas que mesmo sendo simples exibições, como por exemplo, empinar a moto, para provar quem é bom, “aos olhos da Lei”:

  • Também é considerada infração gravíssima que causa a perda imediata da CNH de moto, a multa pode parecer razoável, R$ 293,47, mas, aí é que mora o perigo, se houver outros competidores por assim, dizer, a multa para quem for pego no “flagra”, pula para R$ 2.934,70, caso seja visto como manobra perigosa!
  • Forçar passagem na contramão pilotando entre os veículos que trafegam em sentido oposto, ou, circular entre veículos que trafegam nos dois sentidos quando o trânsito está congestionado, casos como esses levam multa de R$ 2.934,70, além da perda imediata da CNH de moto;
  • A omissão de socorro em acidentes, alterar o local do acidente, ou, não prestar informações solicitadas pelo agente do trânsito, também acarreta a perda imediata da CNH de moto, com multa de R$ 1.467,35;
  • Pilotar sem os acessórios obrigatórios, ou, mesmo que esteja de capacete e usando chinelos, pode dar multa de R$ 293,47, em casos extremos pode até causar a perda da CNH de moto;
  • Outra infração gravíssima que pode originar abertura de processo, é carregar mais de uma pessoa na garupa, assim, como crianças abaixo de 7 anos, a multa pode ser de R$ 293,47;
  • Trafegar com a moto com as luzes apagadas, gera multa de R$ 293,47, mas, como representa riscos a segurança do piloto e de outros a volta, pode causar perda da CNH;
  • Multa por excesso de velocidade detectada pelo radar em locais próximos as escolas, onde a velocidade é de apenas 30 km/h, pode causar também a perda da CNH de moto;
  • Quem tenta furar blitz de fiscalização, pode responder a processo administrativo que pode causar a perda da CNH, além de levar multa no valor de R$ 293,47;

Procure sempre pilotar com segurança e dentro da Lei, bom para você, melhor para todos.